Agosto Dourado – mês de conscientização do aleitamento materno

A amamentação também ganhou um mês para chamar de seu: o Agosto Dourado. Serão 31 dias para intensificar o que precisa ser trabalhado durante todo o ano: a importância do aleitamento materno. O lema da campanha é  “Todos Juntos Pela Amamentação”.

O projeto de lei que definiu agosto como o mês da amamentação foi aprovado pelo Senado em março deste ano, então esse é o 1º Agosto Dourado da história.

Apoiar a amamentação durante todo o ano é essencial, mas em agosto essas ações deverão ser intensificadas através de esclarecimento sobre a importância do aleitamento materno.

No dia 1º de agosto também se iniciou a Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM), que segue até o próximo dia 7.

E nós aqui do TripBaby & Kids, apoiamos e incentivamos essa causa.

Benefícios da Amamentação

  • Se o beber mamar na 1ª hora após o nascimento (a famosa hora de ouro), reduz 20% o risco de mortalidade infantil.
  • O leite materno é o alimento mais completo e equilibrado, pois atende a todas as necessidades de nutrientes e sais minerais da criança até os 6 meses de idade.
  • Fácil de ser digerido, provoca menos cólicas nos bebês.
  • Colabora para a formação do sistema imunológico da criança, previne alergias, obesidade e intolerância ao glúten.
  • Contém uma molécula chamada PSTI, responsável por proteger e reparar o intestino delicado dos recém-nascidos.
  • O momento da amamentação aumenta o vínculo entre mãe e filho e colabora para que a criança se relacione melhor com outras pessoas.
  • Previne a anemia.
  • A sucção ajuda no desenvolvimento da arcada dentária do bebê.
  • Quando o ômega 3 está presente no leite materno, o que varia de mulher para mulher de acordo com sua alimentação, ele ajuda no desenvolvimento e crescimento dos prematuros nos primeiros meses de vida.
  • Ajuda no desprendimento da placenta, contribuindo para a volta do útero ao tamanho normal. Com isso, também evita o sangramento excessivo e, consequentemente, que a mãe sofra de anemia.
  • Protege a mãe contra o câncer de mama e de ovário.
  • Estudo publicado na American Journal of Obstetrics revela que a amamentação reduz o risco de a mulher desenvolver síndrome metabólica (doenças cardíacas e diabetes) após a gravidez, inclusive para aquela que teve diabetes gestacional.
  • A amamentação dá às mães as sensações de bem-estar, de realização, e também ajuda a emagrecer, pois consome até 800 calorias por dia (mas dá uma fome…).
  • É de graça, natural, prático, e não desperdiça recursos naturais.
  • Está sempre pronto para ser transportado e ingerido (não precisa nem aquecer).
  • Protege a mãe contra doenças cardiovasculares, segundo estudo realizado pela Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos. Para a pesquisa, foram analisadas 140 mil mulheres no período pós-menopausa, ou seja, com média de 63 anos, e o resultado mostrou que aquelas que amamentaram por mais de um ano tiveram 10% menos risco de sofrer com essas doenças, se comparado com aquelas que nunca amamentaram.
  • Bebês que mamam exclusivamente no peito até os seis meses têm menos risco de desenvolver asma e artrite reumatoide e recebem uma proteína que combate vírus e bactérias do trato gastrointestinal.

Amamentar é um ato de amor

Amamentar é sem dúvidas, um ato de amor. É um momento único para a mulher e o bebê. E nessa semana, eu participei de 2 lindas ações. Uma bate-papo/palestra sobre Amamentação promovida pela Medela Brasil e a Revista Pais & Filhos , aonde discutimos sobre a importância de amamentar, orientar as mulheres e empoderá-las sobre o assunto, ter o apoio da família e da sociedade.

Blog Parceiros – Revista Pais & Filhos

Participantes do Encontro sobre Amamentação
 

Outro ação bacana que eu participei foi promovida pela Lansinoh Brasil,  para sermos defensores da amamentação, e lógico que eu aceitei.

 

Temos outros post sobre amamentação que podem interessar:

http://tripbaby.com.br/amamentacao-fissuras-mamarias/

Amamentação Segura – Pense Nisso

Banco de Leite Humano

Disponibilizar leite humano para recém-nascidos prematuros ou de baixo peso é uma prática inovadora e essencial na garantia da sobrevida dessas crianças.

Se você tiver excesso de produção de leite, e quiser doá-lo, procure o banco de leite mais próximo de sua residência, conforme a relação abaixo, para as orientações.

Atenção: existem impedimentos para a doação de leite:

Ser portadora de doença infecto contagiosa (como hepatite e AIDS);
Ser usuária de álcool ou outras drogas;
Ser fumante;
Quanto ao uso de medicamentos consulte o BLH.
Todas as Unidades Neonatais deverão contar com Postos de Coleta de Leite Humano, permitindo com que todos os bebês internados possam receber o leite de sua mãe, sem necessidade de pasteurização.

Para saber mais, aqui em São Paulo, consulte: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/servicos/banco_de_leite_humano/index.php?p=1628

Para outras regiões do Brasil, se informe na Unidadr Básica de Saúde mais próxima da sua casa. 

Vamos nos informar! Compartilhe essas informações.

Com carinho,

Tati

Deixe uma resposta